domingo, 3 de dezembro de 2017

PAUSA NO BLOG

Olá amores!

Infelizmente, venho dar uma notícia não tão boa.  Estou passando por uma fase complicada e o blog precisará dar uma pausa. É apenas uma fase, não se preocupem que até dia 19 eu volto, prometo!

Agradeço a todos pela compreensão e colaboração. Vou sentir saudades!

Com todo meu amor,

Alessandra Salvia

terça-feira, 28 de novembro de 2017

TAG: Livros de A à Z

Olá amores!

Faz tempo que não trago TAGs a vocês, né? E procurando nos meus arquivos, vi que tinha essa selecionada para fazer e sempre vou adiando, mas hoje não. Bora trazer a "TAG - Livros de A à Z"?



- Autor Favorito: 
Bianca Briones;

- Bebida favorita durante a leitura:
Chá;

- Citação literária favorita:
"Tudo termina bem, se não está bem, é porque não acabou" 
e
"Mesmo nada der certo, a fantasia ainda estará aqui te esperando"

- Detestas-te ler:
Por obrigação;

- Estás a ler:
"Aos Perdidos, com Amor" da Brigid Kemmerer publicado aqui no Brasil pela Plataforma 21;



- Feliz por teres dado uma oportunidade:
à Literatura Nacional. Há tanto preconceito em relação aos nossos autores, mas existem profissionais extremamente talentosos que merecem reconhecimento e destaque;

- Gênero literário que não lê:
Terror/Horror;

- Hard Cover ou Paper Back?
Difícil... Paper Back pelo preço, rs;

- Internet ou livrarias físicas:
Livrarias físicas, porque agora fazem preço de internet;

- Julgas um livro pela capa?
Infelizmente, sim. Mas também leio livros que a capa não são atrativas, mas por recomendações, rs;

- Kobo ou Kindle:
Eu tenho um Kindle e um Lev (da Saraiva). Gosto bem mais do Kindle pela rapidez e por ser branco, não cansa tanto a vista;

- Livro mais longo que já lestes:
Saga Outlander (uma das minhas favoritas <3), acredito que o livro foi o segundo, "A Libélula no Âmbar" com 935 páginas;



- Momento mais importante na tua vida literária:
Ser escolhida como leitora beta da minha autora favorita;

- Número de estantes que possui:
Uma só, mas os livros que não cabem nela, guardo em caixas em outro armário;


- Obsessão literária:
Marcadores de página, faço coleção!


- Personagem que provavelmente terias namorado durante a escola:
Que difícil... Humm... Peeta? De Jogos Vorazes;

- Quantos livros têm por ler?
Diversos, não consigo enumerar, rs;

- Ressaca literária: Quando foi tua última?
Em "Meu Refúgio" da Cinthia Freire;



- Série que começas-te e precisas terminar?
Todas, rs. Eu não gosto de deixar nada pela metade. Mas atualmente é 'When Calls The Heart";

- Três dos livros favoritos de sempre:
UAU, que difícil!

1) As Batidas Perdidas do Coração - Bianca Briones;
2) A Viajante do Tempo - Outlander - Diana Gabaldon;
3) Saga Harry Potter - J.K. Rowling;


- Último livro que lestes.
"Amor & Gelato" da Jenna Evans Welch publicado no Brasil pela Intrínseca;

- Voltarás a ler?
Esse livro não, mas outros sim.

- Wishlist literária: Último livro que adicionastes:
"A Sombra de Romeu e Julieta" da . Melinda Taub publicado no Brasil pela Verus Editora;

- X (Marca o lugar) – Qual 24º livro de sua estante? 
"Caraval" da Stephanie Garber publicado no Brasil pela Editora Novo Conceito;


- Young Adult ou New Adult:
New Adult;

- Zzz- Qual último livro que te manteve acordado até tarde:
"Tartarugas Até Lá Embaixo" do John Green publicado no Brasil pela Editora Intrínseca;


E aí amores? Gostaram? Fiquem a vontade para fazerem também! Infelizmente, não lembro de quem foi que a peguei, se você souber, deixa nos comentários que eu coloco os créditos.

- Alessandra Salvia

domingo, 26 de novembro de 2017

Livro: A Rainha de Tearling

Olá amores,

Como vocês estão? Hoje, a resenha será sobre um livro indicado por nada mais, nada menos que Emma Watson! Pois é, quando eu li que "A Rainha de Tearling" foi classificado como um dos melhores livros que a atriz leu e que ela quer adaptá-lo para o cinema, eu não pude deixar ele de fora da minha lista de desejados. Sendo assim, bora para mais uma resenha sem spoilers? O livro foi escrito por Erika Johansen e publicado pela Editora Suma de Letras.


A história é sobre Kelsea, a nova princesa do reino Tearling que após a morte de sua mãe precisa aprender a reinar e lidar com um povo extremamente mal tratado e sofrido. Até porque, caso as coisas mudem, o reino precisará lidar com a ira da Rainha Vermelha, uma famosa e misteriosa feiticeira sanguinária.

O livro é repleto de aventura, feminismo e discussões sociais. Temos uma líder jovem e inexperiente, porém corajosa o bastante para enfrentar os costumes e regras que questionam sua ética e moral. Uma protagonista forte e inteligente que traz a intensidade de uma guerreira (mesmo ela não sabendo lutar muito bem, rs. A grande paixão de Kelsea são os livros e é impossível não se identificar com suas reflexões sobre a necessidade de bibliotecas e leitura).

Os personagens são complexos e com nomes difíceis, mas muito fiéis a sua causa. Fiquei impressionada com o relacionamento da Rainha para com sua guarda, afinal, primeiramente é preciso a conquista, os cavaleiros precisam confiar e acreditar em Kelsea e é exatamente esse desenvolvimento que me agradou. A nova rainha mostra que ela é sim a pessoa certa para o cargo e suas atitudes a todo momento comprovam que sua maior preocupação é o bem estar do povo. Com isso, até mesmo o leitor passa a admirá-la e quer segui-la.


Com muitas cenas fortes e explícitas, a obra é uma distopia dividida em três fases. Todas rápidas e envolventes que nos mostram a adaptação de Kelsea na nova vida. Lembrando que mesmo tendo uma trama política, "A Rainha de Tearling" tem seu toque de fantasia com o uso de magia. Sutil, mas com a promessa de crescimento nos próximos livros da trilogia. 

Um livro que me tirou da zona de conforto e me deixou ansiosa por mais, quero conhecer "A Invasão de Tearling", o segundo livro da saga que já foi lançado. O final deste primeiro, deixou muitas perguntas em aberto e preciso saber como serão as consequências de toda ousadia de Kelsea.


Agora chegou a sua vez... Me conta, já leu? Quer ler? Gostou da dica de hoje?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Incrível

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Livro: Meu Refúgio

Olá amores!

É com grande alegria que eu venho conversar com vocês sobre "Meu Refúgio", o novo livro da nossa parceira Cinthia Freire. E assim, eu quero deixar claro que o meu amor pelos livros da autora é forte, mas esse... MEU DEUS! Só de pensar em conversar com vocês sobre o enredo, eu já me arrepio...


Para quem ainda não conhece, este é o terceiro livro da série Segredos, porém cada história é independente, ou seja, você pode sim ler fora de ordem, mas eu aconselho você a ler em sequência, porque tudo se interliga de uma maneira maravilhosa. Sendo assim, bora falar sobre o meu magrelo? <3

Chegou a vez do Alan nos contar sua grande e intensa história de amor com Monique. Ambos se conheceram ainda na infância, o que gerou a parte 1 da obra e após uma série de acontecimentos, vamos para a parte 2 com os protagonistas já adultos. Monique é a bailarina do grupo, toda doce e delicada. Ela vem de uma família bem tradicional e rica, enquanto Alan é o bolsista da escola, filho da faxineira que se dedica ao máximo para ser o melhor e horar o esforço dos pais.


E é nesse contexto que você se apaixona perdidamente pelo garoto. Alan é leal, honesto, amigo, presente. Tem alguns draminhas em relação a Monique, mas quem não teria? A diferença na classe social é algo gritante entre eles, todavia, é contornada pelo sentimento sincero e forte que o casal tem. Sentimento... É uma chuva de sentimentos! Enquanto a história te faz derramar lágrimas de sofrimento, ela também te faz sorrir e emociona por sua sensibilidade e afeto. 

Eu havia gostado muito dos livros anteriores da série, mas esse... Superou todas as minhas expectativas. A construção do sentimento e como cada um lida com isso, tornou a obra única, muito especial. A "Parte 1" é incrível e se você sobreviver a ela, te falo: nada te prepara para a "Parte 2" da leitura. 


Você é surpreendido (a) de uma maneira tão impactante que nem sei como te explicar... A força das palavras te derruba. É aquele livro para se ler e sentir. É impossível você não se entregar àquela história e viver a dor de Alan e Monique. Eu queria poder dar spoilers, mas acho errado, quero que vocês tenham a experiência que tive, de começar a ler e não querer mais parar. Eu li tudo em um dia, porque era impossível interromper a história, eu só precisava de mais e mais e mais. Tanto que já até avisei a Cinthia, eu vou ter que reler, porque não consigo superar alguns fatos.

E esse é exatamente aquele tipo de resenha que não será suficiente. A grandeza dos personagens e de suas histórias é algo bem difícil de ser retratado, sinto que não fiz jus ao magrelo. Então, peço que vocês mesmo leiam para entender. É uma obra emocionante, envolvente, que tem até mesmo seu apelo social e desmistifica alguns assuntos considerados tabus hoje em dia.


Ah, se você já leu os anteriores, segura o coração! Gabriel está bem presente nesse livro. A amizade dele e de Alan foi um dos pontos que mais tocaram meu coração. 

AAAAAAAAAAAAAAA, LEIAM POR FAVOR!!!! <3 "Meu Refúgio" é o meu novo livro favorito e quero que o mundo o conheça!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Quotes - Sonhos de Avalon

Olá amores!

Preparados para mais Bianca Briones? Acho incrível como os quotes dela atingem o coração do leitor, então vou trazer alguns trechos especiais da nova obra, "Sonhos de Avalon - A Última Profecia" publicado pela Editora Bretrand. Caso fiquem curiosos, deixo a resenha AQUI!


"Não penso que a vida possa ser tão imprevisível assim. Creio que possamos mudar e sermos senhores de nosso próprio destino. Conformar-se com algo que não quer só porque lhe foi dito que aconteceria é uma desistência muito grande"


"Vocês, feiticeiros, podem manipular mentes, mas jamais o coração"


"Acredito que as pessoas devam ser livres para crer no que quiserem ou não crer em nada, como você"

"Não aceite que o destino decida. Lute e mude o que quer que seja a seu favor"


"Nós não somos responsáveis pelos erros dos nossos pais. Respondemos pelos nossos e nada mais"





"Certo ou errado, o peso recaiu sobre ele. Você é quem fará o seu. Suas escolhas determinarão seu fim"


"Se é amor verdadeiro, é apenas uma vez, Morgana."

"Morgana, quando você ama, tudo em que acredita muda de perspectiva. A vida se separa em duas: antes e depois da pessoa. Certas coisas perdem o sentido e outras se tornam primordiais"

"Não existem amores impossíveis. Se é amor verdadeiro entre duas pessoas, é possível. Ainda que não estejamos juntos, não quer dizer que não haja amor"


"Essa sua mania de dizer às pessoas que elas podem ser o que quiserem e que não há um destino predefinido é absurdamente irritante"



Puro amor, não? Corram para ler que vale muuuuito a pena!!! Um romance fantástico extremamente bem construído que te deixará sem fôlego ao terminar de ler.

- Alessandra Salvia

domingo, 19 de novembro de 2017

Livro: Tartarugas até lá Embaixo

Olá amores!

É eu sei... Já estou percebendo que um monte de gente irá torcer o nariz só porque viu que a resenha será de um livro do John Green... Pois é, eu sei que ele é um autor desgastado simplesmente pelo fato de que seus livros viraram filmes, ele se 'banalizou' e há preconceito sim em literatura jovem. Porém, "Tartarugas Até Lá Embaixo" está mais do que um simples romance adolescente. Publicada pela Editora Intrínseca, a obra vai surpreender o leitor de inúmeras maneiras e todas positivas.


A história é sobre Aza e sua maneira de encarar a vida. Ela é uma jovem que possui transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o que é aparentemente irrelevante, mas que impacta e gera consequências bem graves. Quando ela e a melhor amiga Daisy descobrem que um bilionário (pai de um amigo de infância) desapareceu, as duas começam a buscar pistas para encontrá-lo (e também para adquirir a gorda recompensa oferecida).

Se você leu isso e acha que será uma grande aventura, pode parar por aqui. John Green não vai te encher de mistério e reviravoltas. Ele vai te contar como é a realidade de uma pessoa com TOC. Ele vai te mostrar que a doença mental existe e que é preciso informação para ajudar quem a possui. 

Pensa em um enredo cheio de diálogos marcantes e reflexivos? Não é um livro que você lê e relaxa, ele te ensina, ele te faz pensar. E eu confesso que adoro isso! Uma história forte e cheia de conteúdo que modifica quem lê... UAU!


A escrita do John Green é a mesma, só que por ele ter TOC sentimos o quanto cada 'desabafo' ou descrição feita por Aza é verdadeiro. Foi o livro que mais amei dele e fiquei bem impressionada com a qualidade da obra. O final é singelo e bonito. Gosto da forma como cada passo da personagem é gradual, seja para frente ou para trás. Aza é o que é e mesmo querendo mudar, ela deixa claro o quanto isso é complicado.

Em diversos momentos, parei e fiquei pensando na complexidade de cada pensamento de Aza e até onde aquilo fazia sentido. Já vi várias críticas dizendo que aquilo não era natural e beirava a artificialidade. Claro, eu concordo que muitas vezes, o roteiro (principalmente os diálogos) são muito rebuscados para serem cotidianos, mas sinto que faz sentido no conjunto apresentado, sabe? Eu consegui ficar imersa naquela história e senti sua profundidade.

Uma das minhas cenas preferidas é o embate que Daisy e Aza tem. Duas formas de ver a situação, ambas verdadeiras, porém que não se cruzam. Amei ver o salto que Aza deu em relação a amizade e que é possível sim você ter o apoio das pessoas ao seu redor. 


Davis, o 'mocinho' da história, é meio apagado. Não que eu não goste dele, eu gosto, mas ele está ali apenas para mostrar que o mundo existe e que o TOC inibi muitas pessoas de seguirem outros caminhos. Davis é o filho do bilionário que sumiu e alguns fatos não me convenceram em relação a isso, mas ok. Quem sabe o tuatara não realmente descobre a fórmula da imortalidade e eu calo minha boca, né? rs.

Nossa, sinto que escrevi demais e ainda não disse nada! O livro foi necessário para mim. Eu amei demais a experiência e vi no John Green uma necessidade de serviço social enorme, percebi que esse é o trabalho dele, ele gosta de mostrar que o 'estranho/diferente' não precisa ser excluído ou ignorado. Vamos ajudar quem precisa, vamos incluir discussões como essa em nossa sociedade, pois só assim tornaremos o mundo um lugar melhor de se habitar.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Livro: Codinome Lady V

Olá amores!

Acho que estou devendo uma explicação desde o post de "9 Verdades e 1 Mentira" sobre a afirmação que fiz sobre os romances de época. E nada melhor do que trazer a resenha de um livro do gênero para discutirmos o assunto, certo? Então, preparem-se que hoje tem resenha de "Codinome Lady V" da autora Lorraine Heath, publicada pela Editora Gutenberg, o primeiro volume da série Os Sedutores de Havisham


O livro nos conta a história de Minerva Dodger. uma solteirona com um grande dote que está cansada de ver os rapazes londrinos serem interesseiros e decide que chegou o momento de aproveitar a vida, mesmo com todas as regras sociais da época. E é assim que Minerva se torna Lady V. Uma moça misteriosa que frequenta clubes de cavalheiros em busca de um pouco de diversão, além do fato de querer perde a virgindade. E é aí que as coisas começaram a me incomodar...

Até então, podemos dizer que temos vários aspectos que tornam o romance, um romance de época tradicional, daqueles dignos de Julia Quinn e Lisa Keyplas, porém algo não funcionou para mim e comecei a me questionar sobre tudo o que venho lendo... Não é segredo para ninguém que sou feminista, mas acredito sim no poder do amor e nessa versão do 'felizes para sempre' que os livros me trazem. Nunca questionei o fato das princesas existirem ou as mulheres se arrumarem para os bailes. Eu adoro isso, de verdade. Porém, de uns tempos para cá sinto que muitos livros (principalmente desse gênero) se tornam fúteis e focam tanto no sexo que isso me 'traumatiza'.


Não nego, "Lady V" é uma feminista. Ela tem total direito de buscar o que quiser, onde quiser. Gosto da força da personagem, mas não acho que seja um enredo que me agrade. Eu queria algo mais natural, sabe? Sou tão romântica que preciso de algo antes do 'tchanam', se é que me entendem. Quero mais desenvolvimento, quero profundidade nos personagens, quero sentimentos, quero aprender com eles. Porque sim, eu sou dessas que aprende com um simples romance, afinal, podemos ver diferentes reações e como cada personagem se comporta perante os desafios colocados. Quer exemplos? Gregory Bridgerton acredita no amor e luta por ele, já Anthony foge, pois tem certeza da morte precoce... Cada história tem um paralelo, um desenvolvimento próprio, mas "Lady V" foi como se apenas o sexo fosse o foco de Minerva.

Confesso que ainda não acabei de ler o livro, mas eu precisava vir desabafar, afinal, já é o terceiro romance de época que pego e não consigo dar continuidade por conta dessa reflexões que faço. Um dos últimos livros que li foi aquele da Eloisa James, "Quando a Bela Domou a Fera". Vocês lembram da minha resenha? Eu disse que uma determinada frase havia me irritado e quase desmoronou toda a história para mim... Pois é, essa frase me marcou e agora, mesmo depois de meses ainda lembro da protagonista se humilhando por um homem. E eu não sou dessas que acredita que podemos nos 'humilhar por amor' não, amor de verdade é parceiro, não precisa se rebaixar por ele.


Então, depois de todo esse desabafo, não digo que desisti dos romances de época. Só acho que chegou o momento de eu dar uma parada para conseguir enxergar as diferenças e peculiaridades de cada história, coisa que não vem acontecendo. Estou achando tudo muito parecido e com mocinhas futeis.

Será que só eu penso assim? Será que é um problema comigo? Gostaria muito de saber a opinião de vocês sobre o livro/temática.

Minha Classificação: ♥ ♥ (2/5) - Não consegui me apaixonar...

- Alessandra Salvia