domingo, 19 de novembro de 2017

Livro: Tartarugas até lá Embaixo

Olá amores!

É eu sei... Já estou percebendo que um monte de gente irá torcer o nariz só porque viu que a resenha será de um livro do John Green... Pois é, eu sei que ele é um autor desgastado simplesmente pelo fato de que seus livros viraram filmes, ele se 'banalizou' e há preconceito sim em literatura jovem. Porém, "Tartarugas Até Lá Embaixo" está mais do que um simples romance adolescente. Publicada pela Editora Intrínseca, a obra vai surpreender o leitor de inúmeras maneiras e todas positivas.


A história é sobre Aza e sua maneira de encarar a vida. Ela é uma jovem que possui transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o que é aparentemente irrelevante, mas que impacta e gera consequências bem graves. Quando ela e a melhor amiga Daisy descobrem que um bilionário (pai de um amigo de infância) desapareceu, as duas começam a buscar pistas para encontrá-lo (e também para adquirir a gorda recompensa oferecida).

Se você leu isso e acha que será uma grande aventura, pode parar por aqui. John Green não vai te encher de mistério e reviravoltas. Ele vai te contar como é a realidade de uma pessoa com TOC. Ele vai te mostrar que a doença mental existe e que é preciso informação para ajudar quem a possui. 

Pensa em um enredo cheio de diálogos marcantes e reflexivos? Não é um livro que você lê e relaxa, ele te ensina, ele te faz pensar. E eu confesso que adoro isso! Uma história forte e cheia de conteúdo que modifica quem lê... UAU!


A escrita do John Green é a mesma, só que por ele ter TOC sentimos o quanto cada 'desabafo' ou descrição feita por Aza é verdadeiro. Foi o livro que mais amei dele e fiquei bem impressionada com a qualidade da obra. O final é singelo e bonito. Gosto da forma como cada passo da personagem é gradual, seja para frente ou para trás. Aza é o que é e mesmo querendo mudar, ela deixa claro o quanto isso é complicado.

Em diversos momentos, parei e fiquei pensando na complexidade de cada pensamento de Aza e até onde aquilo fazia sentido. Já vi várias críticas dizendo que aquilo não era natural e beirava a artificialidade. Claro, eu concordo que muitas vezes, o roteiro (principalmente os diálogos) são muito rebuscados para serem cotidianos, mas sinto que faz sentido no conjunto apresentado, sabe? Eu consegui ficar imersa naquela história e senti sua profundidade.

Uma das minhas cenas preferidas é o embate que Daisy e Aza tem. Duas formas de ver a situação, ambas verdadeiras, porém que não se cruzam. Amei ver o salto que Aza deu em relação a amizade e que é possível sim você ter o apoio das pessoas ao seu redor. 


Davis, o 'mocinho' da história, é meio apagado. Não que eu não goste dele, eu gosto, mas ele está ali apenas para mostrar que o mundo existe e que o TOC inibi muitas pessoas de seguirem outros caminhos. Davis é o filho do bilionário que sumiu e alguns fatos não me convenceram em relação a isso, mas ok. Quem sabe o tuatara não realmente descobre a fórmula da imortalidade e eu calo minha boca, né? rs.

Nossa, sinto que escrevi demais e ainda não disse nada! O livro foi necessário para mim. Eu amei demais a experiência e vi no John Green uma necessidade de serviço social enorme, percebi que esse é o trabalho dele, ele gosta de mostrar que o 'estranho/diferente' não precisa ser excluído ou ignorado. Vamos ajudar quem precisa, vamos incluir discussões como essa em nossa sociedade, pois só assim tornaremos o mundo um lugar melhor de se habitar.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

19 comentários:

  1. Olá, Ale.
    Eu não pretendo ler esse livro porque infelizmente já desisti do autor. Depois de 4 livros lidos eu decidi que não vou gostar mesmo dele e não vou mais ler seus livros. E ainda mais esse que é de um assunto que também já li alguns livros e acabei não gostando de nenhum. Mas sei que o autor é uma unanimidade e até agora só li resenhas positivas desse novo livro do autor.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ale!
    Eu não sou tão mais assídua do João Verde, mas também não julgo hahhahahahha
    Eu vi muitas resenhas falando justamente sobre esse depoimento de TOC e achei bem válido o John de certa forma contar como é sua vida com a doença.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  3. Oi
    eu estou curiosa com esse livro, já li três do autor e não gostei de um, mas esse parece ser bom e que bom que curtiu, acho interessantes histórias com pessoas que tem TOC.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha Alê. Li dois livros do John Green e ambos me deixaram impactada com a história. Acredito que Tartarugas Até Lá Embaixo também seja cativante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Alê,
    Ai John Green, tenho preguiça.
    Quem sabe futuramente quando eu estiver com a mente livre, pra absorver a história e as mensagens.

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  6. Oi Ale, tudo bem?
    Que bom que você se apaixonou pelo livro!
    Eu não tenho muito interesse em John Green, infelizmente. :( Mas quem sabe um dia eu dê uma chance a essa obra.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  7. Oi Ale
    Eu tenho toc e foi por isso que li o livro e te digo uma coisa, é muito curioso o que passa na nossa cabeça e realmente atrapalha a vida sabe. Foi primeiro livro do autor que eu gostei e adorei o final.
    Acho que eu procurava respostas, mas o toc não tem cura mesmo, ele só ameniza e quando passamos por algo muito forte, ele pode voltar. Não é fácil, é uma luta diária. Acho que quem tem toc vai se identificar com a história.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto muito desse autor e estava curiosa pra saber, o que esperar desse livro. Essa é a segunda resenha que eu leio sobre essa obra e estou feliz que as pessoas estão gostando dessa história. Estou animada pra ler esse livro.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2017/11/top-7-canal-nostalgia.html

    ResponderExcluir
  9. Oi Alessandra,
    Tbm gostei bastante do livro. Achei a Aza uma baita personagem e fiquei apavorado com a realidade do TOC. Eu não tinha noção de como o transtorno funcionava e como poderia afetar a vida de uma pessoa.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá! Tudo bem?!
    Eu tô doida pra ler esse livro, mas nunca tem na livraria aqui perto de casa.
    Passando aqui pra retribuir seu comentário lá no meu blog, desculpe a demora.
    Volte sempre!

    Bjo,
    miiistoquente ~

    ResponderExcluir
  11. Oi Alê, tudo bem??
    Queroo muitooooo ler esse livro!!!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  12. Oi, Alê.
    Engraçado como as opiniões são bem divididas quanto a esse autor.
    Eu confesso que li apenas um livro dele e pretendo ler outros. Esse é um dos que estão na lista, principalmente pela temática.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Ale! Fiquei tão feliz quando vi esse livro, eu adoro as histórias do autor e essa parece ser uma das melhores dele e esse toque pessoal faz toda a diferença. Que bom que gostou.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oiii Ale

    De todos os livros do Green esse é simplesmente o que sinto que posso chegar a gostar. Tentei ler A culpa é das estrelas e abandonei, não era pra mim. Cidades de Papel idem. Mas eu acredito que todo mundo muda, inclusive eu e inclusive o Green então sempre é tempo de dar uma terceira oportunidade. A resenha ficou ótima e fico feliz em saber que vc gostou tanto, me anima mais a tentar.

    beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Alê! Eu torço o nariz para o sick-li, na verdade, e como A culpa é das estrelas faz parte do gênero, acabo não curtindo, mas gosto de histórias adolescentes. Porém, não é por isso que quero ler o livro e sim pela questão do TOC, o autor parece abordar muito bem o tema! Quero conferir com toda certeza!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  16. Que resenha mais amorzinho! Eu ameii saber sobre o livro e como ele te conquistou. Eu nao tenho preconceito como autor, mas há muitas pessoas que tem. Nunca li nada dele por falta de oportunidade, mas quero muito! Quem sabe nao começo por esse livro?
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  17. Eu quero TANTO, mas TANTO ler este livro! Estou na expectativa que alguém em ofereça no natal :P

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  18. Que bom q foi uma ótima leitura pra vc Ale, tbm estou doida pra conferir essa nova história do Tio Verde *-* O que eu mais gosto na escrita dele são essas frases reflexivas sem igual <3
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Alessandra!
    Acho uma bobeira esse negócio de preconceito literário, cada um devia cuidar das suas leituras e deixar as leituras dos outros pra lá. Gosto do John Green, apesar de só ter lido dois livros dele. Quero muito ler esse lançamento, ainda mais que todo mundo tá falando que ele colocou o coração nessa narrativa.
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir