quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Words Challenge #12

Olá amores!

Depois de vários pedidos, o "Words Challenge" traz uma continuação!!! Sim, quem lembra desse texto AQUI? Se joga que o tema de hoje é "herói" e tem texto da Pâm no blog Interrupted Dreamer também! As palavras são: ouvido, sorte, vestido, riso e câmera. Vem ler e me contar o que achou...


Words Challenge #12



"Acordei no sobressalto. Minha camiseta do pijama estava toda molhada de suor e meu coração acelerado. Meu ouvido zunia como se eu estivesse ficado até tarde na balada. A sensação de perigo estava iminente e me fez acordar. Nunca me senti tão desprotegida.

Falar sobre a falta que alguém é algo dolorido. Cutuca o coração, nos faz ver o quanto a sorte está contra a felicidade. Então prefiro guardar tudo para mim. Fingir que tudo está normal e que não preciso de ajuda. E sabe o que é mais engraçado? Ninguém ainda percebeu o quanto meu riso é falso. O quanto eu desejava a presença dele aqui, comigo. Bem pertinho.

Acho que tudo tem um motivo na vida. Nunca fui de me revoltar contra Deus e perguntar: 'por que eu?'. Acredito em destino. Acredito que forças maiores estão conspirando ao meu favor e que uma hora tudo se encaixa. Aliás, qual a graça da vida se tudo for arco-íris e potes de chocolate com jujubas?

Para esconder as olheiras do dia anterior, pego um vestido colorido. Ao me olhar no espelho, sinto sua presença. Sinto sua promessa... 'Eu nunca estaria sozinha'. Mas... por que o sonho continua? Por que os pesadelos continuam? Desde o dia em que o vi na praça, todo vestido de branco, a sua presença não sai da minha mente... Eu preciso dele para me salvar. Ele é o meu super herói mesmo sem saber a verdade.

Sinto que só de pensar naquela noite, tudo se acalma. O mundo pára de girar e fica em câmera lenta. Eu consigo. Eu posso. Tudo está sob controle. Sorrio. Ele vem me visitar hoje. Eu sei, é uma mensagem."

- Alessandra Salvia

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Livro: Devoção Em Família (Família Hallinson #2.5)

Olá amores!

Faz tempo que não trago uma resenha da nossa parceira Mari Scotti, né? Peço desculpas, esse ano vem sendo bem complicado, porém quando eu vi que o conto "Devoção em Família" havia sido lançado em homenagem ao dia dos pais, eu não pude deixar isso de lado... Eu amo romances históricos e a Mari tem um dom para nos transportar a esse mundo tão diferente de hoje. Para quem ainda não conhece e ama o gênero, deixo aqui as resenhas dos livros anteriores: "A Montanha da Lua" e "A Noiva Devota".


"Devoção em Família" é o conto que precede o terceiro livro da série, "Enganando o Futuro Duque", mas para ser lido é necessário conhecer a história de "A Noiva Devota", afinal, esse conto é algo bem simples, singelo e é para aquecer o coração dos fãs da série Hallinson

Nele, vamos rever nossos queridos personagens, Samuel e Rosalina. Não quero dar spoiler, então fica difícil contar o que exatamente acontece nas 20 páginas que já estão disponíveis na Amazon, mas adianto que se você busca um doce romance, você precisa de jogar nessa série.

Emocionante, delicado e clássico. Acho que seriam essas palavras que eu usaria para classificar a obra. Não tem enrolação e ficamos com o gostinho de quero mais... Vem logo Gregório!!! <3

Sendo assim, caso vocês tenham se animado, deixarei os links da Amazon para vocês irem adquirir as obras:



Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Lindo!

- Alessandra Salvia

domingo, 27 de agosto de 2017

Série: Os Defensores

Olá amores!

Esse mês de agosto está cheio de novidades televisivas, né? No dia 18 foi a estreia mundial de "Os Defensores", a série que nasceu da parceria Marvel e Netflix que une Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro!


Para quem ainda não conhece, vou deixar abaixo os links das críticas que fiz de cada uma das séries solo dos personagens, já que 'Os Defensores' tem ligação direta com cada uma delas, é uma continuação da luta dos nossos heróis contra o Tentáculo, um grupo incrivelmente forte e onipotente que pretende destruir Nova York para atingir seus objetivos internos (quer saber qual objetivo é esse? Você vai ter que assistir, pois é um spoiler, rs).



Sendo assim, vamos ao que eu achei dessa união tão esperada, afinal, não é segredo para ninguém que eu estava criando expectativas, já que eu amei muito esse novo mundo criado pela Netflix, mais obscuro e cheio de reviravoltas. Coisa que as outras séries de heróis deixaram a desejar... Talvez o que tenha salvado essa parceria Marvel/Netflix seja o formato das temporadas, algo curto, objetivo e cheio de ação. Enquanto Agents os SHIELD, Arrow, Flash, Supergirl, Legends of Tomorrow possuem temporadas longas e enroladas. 

Gosto muito da ousadia da Netflix em mostrar cenas explícitas. Eles não tem medo de ter uma classificação indicativa alta, se é para ter sangue e mortes, eles fazem isso direito, para impactar o telespectador. E claro, tudo extremamente escuro, o que incita a curiosidade e atenção, a série se torna algo impossível de desgrudar os olhos. 


Minha personagem favorita era e continua sendo a Jessica Jones, uma detetive inteligente, irônica e displicente, que sempre tem uma resposta pronta. A interação dela com o Demolidor foi um dos pontos altos da série. Ela sempre diz o que pensa e como é mais fria, é o oposto do Matthew Murdock. Em paralelo a eles, Luke Cage e o Danny (Punho de Ferro) também fazem um parceria super bacana. Algo que facilita a união do grupo e os torna o que são, Defensores. Claro, a confiança não vem de graça e do nada. Há várias discussões e brigas no decorrer do caminho e não tenho como negar para vocês, é muito divertido. Quem aqui nunca pensou: quem ganharia uma luta? Luke Cage ou Punho de Ferro? E se o Demolidor enfrentasse o Danny Rand? Siiiim, temos tudo isso na série! <3

Outra coisa que quero destacar é a presente de uma grande vilã, a Alexandra. Uma mulher tão poderosa e clássica que é exatamente o que eu esperava para uma líder do Tentáculo. Não me decepcionei em momento algum! Em todas as cena, há aquele mistério e surpresa. Ela não é previsível e realmente faz o nível nos vilões se elevarem. Algo que me incomodou um pouco foi a forma como a Sra. Gao agiu no começo da temporada... Submissa e meio 'burra', algo que ela nunca foi. Porém, fico feliz que no decorrer da série, Gao mostra a que veio.


Falando no retorno de personagens já conhecidos, não posso ignorar o fato de que os personagens secundários também se uniram. Claro que não há um grande enfoque e nem há muitas interações, mas elas existem e fazem a diferença. Clare, Colleen, Trish, Foggy... Todos estão de volta para enaltecer a humanidade dos heróis. E a grande surpresa que não é surpresa, pois aparece no trailer é o retorno de Elektra, uma das minhas personagens favoritas que (para mim) foi muito bem no papel de uma 'boneca' do Tentáculo. 

Nossa, são tantos elogios... O ritmo da série é ótimo, o desenvolvimento não deixa a desejar, tudo é gradual e mesmo sendo uma temática mística e obscura, há um toque de humor que traz aquele alívio tão necessário para tornar uma obra completa. A season finale foi incrível e conseguiu me emocionar! Não vejo a hora do lançamento de outras temporadas desse universo que está sendo tão bem explorado.

Ah, caso você também seja um fã, a Netflix já liberou um teaser da próxima série, 'O Justiceiro' (personagem conhecido pela season 2 de Demolidor, afinal, ele fez tanto sucesso que precisou de uma série própria, rs) que é 'cena pós-créditos' que está no último episódio de 'Defensores' (temporada contém 7 episódios).


Sendo assim, finalizo aqui minha crítica com vários elogios (menos ao Danny Rand que foi um mimado e irritante personagem, mereceu cada surra que tomou, rs), super recomendo que vocês se aventurem nas séries disponíveis na Netflix!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Sensacional!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Words Challenge #11

Olá amores!


O #WordsChallenge de hoje vem com a temática "loucura". Ah, não se esquece de ir correndo ler o texto da Pâm, no Interrupted Dreamer hein? As palavras são: correio, impasse, subjetivo, batidas e brilho. O resultado é esse... 

Words Challenge #11



“Perco algumas batidas do coração. Olho ao meu redor e vejo vários estranhos me encarando. Odeio salas de espera. Um deles se destaca e não é pelo seu tom de pele e sim pela sua intensidade, sua curiosidade. Eu sou mais que uma jovem aleatória no ambiente. Para ele, sinto que sou uma incógnita que precisa ser desvendada.

Nossos olhares se prendem e ficamos naquele impasse... Quem será o primeiro a desistir? Eu não tenho nada a perder, ou melhor dizendo, só tenho a ganhar. Fico firme! Droga. Ele também. Sinto que sou desafiada e empino um pouco o queixo como demonstração de que aceito a provocação.

Ele sorri. Estou ferrada, mas não dou abertura, não sou de perder, muito menos para um desconhecido, certo? Errado. Ele caminha lentamente na minha direção e eu sinto que vou derreter. Aquele brilho próprio que as pessoas costumam dizer que eu tenho se apaga, porque pela primeira vez na minha vida, eu realmente não sei o que dizer.

- Boa tarde – duas palavras. O moreno desconhecido só me disse duas palavras e eu travei.

- Booo... Boa tarde – EU GAGUEJEI? Eu não sou mulher de gaguejar, onde está a minha auto-confiança? Pelo amor de Deus... Preciso pelo menos mostrar alguma dignidade nessa conversa.

- Prazer, meu nome é Miguel. Está tudo bem com você? – Miguel... Nome de anjo... OPA! Foco na realidade.

- Tudo bem? Bom, isso é bem subjetivo, não acha? – Aí está o meu humor mais arisco para estranhos que querem puxar papo. Tenho que ser assim, não é mesmo? Já pensou se ele for uma má pessoa? Mas com esse sorriso... Ai esse sorriso...

- Ok ok estressadinha, esqueça o que eu perguntei. Só queria saber se você precisava de ajuda, parece meio pálida...

- Eu estou no correio? Ah, não! Isso é um hospital, estou certa? Então é claro que não estou bem!


Eu queria ser forte. Eu juro que eu queria, mas ao ver a decepção inundar o meu novo anjo da guarda, eu desmorono. Sim, eu desmaio em seus braços. Eu já disse que são grandes e firmes braços?”


- Alessandra Salvia

terça-feira, 22 de agosto de 2017

TAG - O Garoto do Cachecol Vermelho

Olá amores!

Hoje a TAG é tão tão tão especial! A própria criadora, a autora Ana Beatriz Brandão me convidou a fazê-la e eu não pude deixar de ficar animada, né? Até porque eu já li e me apaixonei por "O Garoto do Cachecol Vermelho"! Ei, espera... Você ainda não leu? Como assim? Corre para ler minha resenha AQUI e adquirir o seu exemplar, tem disponível na Saraiva e na Amazon, até porque o próximo lançamento da Ana Bia está para chegar a qualquer momento, o "A Garota das Sapatilhas Brancas"!


Sendo assim, bora fazer a TAG? Lembrando que ambos os livros citados acima tem uma ação social envolvida, a autora doa parte dos seus lucros e ainda nos ajuda a entender melhor o que cada instituição faz para ajudar o próximo!

Daniel, o vândalo preferido -  um livro que você amou do começo ao fim e ficou com gostinho de quero mais.

Ainda espero uma continuação até hoje <3

Melissa, a bailarina quase insuportável - um livro que você detestou no  começo, mas depois passou a gostar.

Início confuso, mas conquistou meu coração!

Regina, a mãe ausente - um livro que você abandonou, mas que vai dar uma segunda chance.

Comecei e parei umas 3 vezes já, rs.

Helena, a que não leva desaforo pra casa - um livro que você defende com unhas e dentes.

Não aceito quando o julgam pelo tamanho ou pela série ser longa demais!

Pedro, o babaca - um livro que tenha um personagem que você detesta.

Confesso que peguei uma birra desses personagens...

Diana, a amiga que não sai da friendzone – Um personagem que você queria que tivesse ficado com a mocinha, ou mocinho da história, mas não saiu da friendzone.

Mais ou menos isso. Não quero dar spoilers, rs.

Fernanda, a amiga maluca que você respeita – Cite um livro que tem um personagem que te fez rir muito durante a leitura.

Carina Rissi sempre é divertida! 


A Garota das sapatilhas brancas, o spin-off - Um livro que você espera ansiosamente pela continuação.


O lançamento mais aguardado da Bienal: "A Garota de Sapatilhas Brancas"? Corre que já está em pré venda na Amazon e na Saraiva!

Sinopse: "Ele foi o farol que a salvou da escuridão. Ela devolveu as cores ao mundo dele. Da mesma autora de O garoto do cachecol vermelho. 

Daniel Lobos vive a vida plenamente. Dono de um coração enorme, o jovem divide seu tempo entre duas paixões: a música e as causas sociais. Até que seu caminho cruza o de Melissa, uma bailarina preconceituosa e mesquinha, que põe à prova aquilo em que ele mais acredita: que todo mundo merece uma segunda chance. 
Este romance mostra, através das lembranças de diversos personagens já conhecidos em O garoto do cachecol vermelho e amados pelo leitor, como as nossas decisões podem afetar o nosso destino. 
Respire fundo e venha descobrir o que levou Daniel a ter tanta fé em Melissa, quando ninguém mais acreditava nela. Toda história tem dois lados, e agora é a vez de conhecer a do garoto do cachecol vermelho" (Clique AQUI para comprar o seu)



Blogs indicados para responder a TAG: - Pâmela Possani do Interrupted Dreamer;
                                                                - Sil do Blog Prefácio;
                                                                - Cila do Cantinho Para Leitura;

Obrigada a Ana Bia pela oportunidade e vamos fazer o DaniDani roubar muitos corações ainda! <3

- Alessandra Salvia

domingo, 20 de agosto de 2017

Livro: A Tormenta de Espadas - Crônicas de Gelo e Fogo #3

Olá amores!

Finalmente eu acabei "A Tormenta de Espadas", o terceiro livro das "Crônicas de Gelo e Fogo" escrita por George R. R. Martin, publicada aqui no Brasil pela Editora Leya. E eu não posso deixar de fazer uma super resenha para vocês, não é mesmo? Lembrando que existe também a série de TV baseada nesses livros, a grandiosa "Game of Thrones".


A história original da famosa série produzida pela HBO já é bem conhecida e falar sobre a luta entre casas (famílias tradicionais) pelo trono de ferro seria redundância. A maioria dos personagens já nos foi apresentada nos livros anteriores, os moldes de capítulos alternados continuam e nada foge muito do que estamos acostumados a ver nas telinhas... Muito sangue, mortes e discussões políticas. Porém, claro que há um aprofundamento e detalhes que tornam o livro muito muito muito maior do que o imaginável.

As temáticas crescem, os personagens interagem com outros e tomam posições que geram conflitos. Por mais que a escrita seja arrastada e lenta, é impossível não admirar o trabalho feito pelo autor. A complexidade do enredo nos deixa chocados, é tãããão inteligente! Você precisa se entregar àquele universo para tudo fazer sentido.



Nesse livro 3, foi descrito uma das minhas cenas favoritas que é o Casamento Vermelho, algo bem impactante e chocante (mesmo se você já assistiu ao episódio, o livro consegue ser descritivo o bastante para tornar a cena viva na mente). Gostei muito de ver como foi o envolvimento do Rob com sua esposa, principalmente o posicionamento de Catelyn perante as atitudes do filho. 

Incrível como os nomes começam a fazer parte do domínio do leitor e isso ajuda a entender melhor as posições de cada casa nessa guerra desenfreada pelo poder. E sabe o que é mais engraçado? O que eu não gostava muito na TV foram os capítulos que eu devorei mais rápido! Por exemplo, eu adorei ler os capítulos do Jaime Lannister. A relação que ele está construindo com a Brienne pode não ser tão romântica quanto eu esperava, mas a aventura que ambos tiveram, foi algo interessante de se acompanhar.



Todavia, o grande destaque para mim foi o final da obra. ALERTA SPOILER - A volta dos mortos de Catelyn Stark foi totalmente surpreendente. Ok, eu já sabia que isso aconteceria, mas não da forma como foi e como ela nos é apresentada. Até porque, esse retorno não demorou para acontecer. Entendo os motivos deste plot não ser explorado pela HBO (a personagem Arya toma o posto de 'vingar a família'), mas que é intrigante a busca de vingança da personagem, isso é sim! - FIM DO SPOILER.

Com isso, fecho o livro três e vou para o quatro em sequência. Pois é, mudei um pouco a tática de ler GOT em doses homeopáticas, por conta do final do livro e da reta final da série na TV que está com tantas revelações maravilhosas. Preciso saber mais sobre essas profecias e teorias, principalmente a citada sobre as três cabeças de dragão. 



Sendo assim, recomendo que todos se aventurem na obra sim, porém sem pressa, ok? Deixem a história penetrar no coração de vocês, é impossível ler/assistir GOT e não sofrer!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Tornando-se uma leitura mais fácil

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Série: Shadowhunters

Olá amores!

Temos Caçadores de Sombras por aqui? É com grande alegria que eu digo a vocês: Shadowhunters superou todas as minhas expectativas!!! Pois é, sinto muito por fazer dois posts com a temática 'série' em sequência, porém eu preciso contar para vocês o que essa season 2 trouxe de bom para a minha vida. 


Com a season finale nessa segunda-feira, a série exibida aqui no Brasil pela Netflix traz uma abordagem dos livros criados pela Cassandra Clare que me surpreendeu demais. Claro que a base é a mesma, a personagem Clary descobre que todas as lendas são verdadeiras, os demônios, lobisomens e vampiros existem sim e ela (sendo uma shadowhunter) precisa proteger os humanos desses perigos iminentes. 


Mesmo admirando o enredo e como tudo é criado, confesso que eu ainda não terminei de ler os livros por conta de um problema de narrativa. Eu não consigo me apegar a escrita da Cassandra e as obras serem em terceira pessoa é algo que me incomoda demais. A grande vantagem disso tudo, é que a série televisiva foi adaptada de uma forma ágil e envolvente, explorando o melhor do mundo criado pela autora

Essa season 2, principalmente, trouxe efeitos maravilhosos e personagens tão bem estruturados que tornaram as reviravoltas e a premissa ainda mais interessantes. Não sei se os fãs ficarão satisfeitos com as pequenas mudanças no decorrer da história, afinal, não é algo 100% fiel, mas eu digo que tudo fez sentido e me agradou demaaaais! 


Algo que devo ressaltar é que se você está assistindo a primeira temporada ainda e está achando tudo muito fraco e sem sal, por favor, continue! A temporada dois dá um grande salto, tanto em enredo, quanto em atuações. Até porque não adianta negar que a atriz Katherine McNamara é muito fraca e como protagonista deixa a desejar, porém ela vem crescendo, seu esforço é palpável e no episódio 02x20 sua interpretação foi para outro patamar, ela conseguiu me emocionar e (finalmente) senti sua força como Clary. 

Os meus personagens favoritos são Magnus Bane, o feiticeiro e Izzy, a shadowhunter mais linda e estilosa. Ambos são do núcleo mais fantasioso e são tão bons atores que faz com que o telespectador compre a ideia de que eles realmente são aquilo que dizem ser. A relação de Magnus com Alec é outro brilho a parte... Uma relação homossexual tratada com respeito e naturalidade. É impossível não se apaixonar por esse casal tão lindo! Já Izzy vem como aquela que aborda o emponderamento feminino. "Bora fazer o que eu quero e lutar pelos meus?" Izzy é dessas que não desiste de nada e ainda usa saltos altos.


Outro ponto que preciso destacar é a presente de vilões realmente impactantes. Eu não esperava lutas tão intensas e arriscadas. E não, não posso elogiar muito Valentim. A graça é por conta de Sebastian que veio para quebrar corações! Aquele sotaque, olhar misterioso e personalidade duvidosa nos faz ficar de boca aberta esperando sua próxima cena. Mas acho bom eu finalizar por aqui para não dar spoilers, né? hahaha

Nossa... São tantos elogios a essa segunda temporada... Estou realmente empolgada com os próximos episódios que infelizmente demorarão um pouco para chegar. O jeito é comemorar a renovação da série e tentar voltar aos livros... Prometo que em breve sai a resenha de "Cidade do Fogo Celestial"


Agora me diz... Você vê Shadowhunters ou leu os livros? O que achou dessa crescente que a série teve? Deixe seus comentários que vou adorar trocar opiniões com vocês!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Segunda temporada maravilhosa!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Série: Orphan Black - Season Finale

Olá amores!

Que post difícil... Nem sei por onde começar, mas sinto que preciso conversar com vocês sobre a season finale de Orphan Black, uma das melhores séries que eu já assisti na vida! Para quem ainda não conhece, eu falei um pouco sobre o início da história AQUI! Ou seja, podem haver alguns spoilers neste texto, já que vou contar um pouco sobre tudo o que eu senti nessa última temporada, ok?


Totalizando cinco temporadas, devo dizer que as três primeiras são sensacionais, é uma emoção atrás da outra. Infelizmente, com a introdução do Projeto Castor no enredo, eu fiquei meio entediada, afinal, eu gosto tanto do Projeto Leda que achei totalmente desnecessário ampliar esse mundo (até porque, era extenso o bastante, né?). Porém, graças a sei lá quem os Castores sumiram e tivemos o foco maior nas nossas queridas clones mulheres. 

Essa última temporada veio para fechar todos os assuntos deixados em aberto desde o início. Entendemos o porquê tudo começou, quem teve a ideia e como tudo foi desenvolvido. Claro, tive que rever alguns episódios para entender como tudo se encaixava, afinal, é uma série de ficção cientifica e há vários termos bem complicados, mas quando você começa a fazer os paralelos... UAU! Tudo faz sentido!


E se você pensa que "Orphan Black" vive apenas de um enredo inteligente, está super errado. Há muita carga dramática! Todas as personagens possuem sentimentos controversos, há o medo, há a angustia, mas também há a coragem e a força. Houveram algumas perdas que acabaram comigo e eu não consegui superar até agora... 

A grande surpresa foi a Rachel, confesso que não esperava algumas atitudes da personagem e fiquei bem chocada. A Helena continua sendo minha favorita, mesmo não tendo um papel tão ativo nessa season 5 já que ela está grávida, o que faz o destaque ir para a Sarah, nossa querida protagonista. Vale lembrar que o tom utilizado é algo bem adulto e obscuro.


Sendo assim, sou obrigada a dizer que essa série seria nada se não fosse o brilhantismo e maestria de Tatiana Maslany. QUE ATRIZ MEU DEUS! Do início ao fim, suas cenas são impecáveis, cada clone tem seu jeito especial, seu sotaque, sua personalidade. Somente com uma atriz realmente incrível cada clone se destacaria por suas diferenças, Tatiana se dedicou a um trabalho extremamente desgastante e não teve as devidas premiações que merecia, mas ok. O legado deixado em Orphan Black vai permanecer.

Com todas as temporadas disponíveis na Netflix, "Orphan Black" chegou ao seu final no sábado (12/08/2017) e foi na hora certa! Decisão super acertada dos produtores de finalizarem a série enquanto o índice de audiência está bom e não enrolar a história por anos mais, o que faria a qualidade cair consideravelmente, pois o enredo já seria todo explicado e explorado.


Essa season finale trouxe a união que tanto esperávamos, deixando os fãs com lágrimas nos olhos. Acabo a série com a sensação de que valeu a pena cada episódio, agradeço ao Clone Club por cada uma das aventuras e pela surpresa ao mencionarem o Brasil nessa longa jornada. Então super te aconselho, corre para ver!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Incrível!

- Alessandra Salvia

domingo, 13 de agosto de 2017

Livro: A Casa das Orquídeas

Olá amores!

Vocês lembram que eu fiquei doente, né? Passei por uma fase extremamente difícil e com isso, eu não conseguia dar continuidade a nenhuma leitura. Foram longas semanas de livros que me deixavam entediada e sonolenta. E foi aí que minha mãe me recomendou "A Casa das Orquídeas" da Lucinda Riley, publicado pela Editora Novo Conceito. PUF, o mundo voltou a ser colorido e mesmo tendo 558 páginas, consegui concluir a leitura com êxito e muito emocionada.


O enredo é sobre Wharton Park, uma antiga propriedade que ficou na família Crawford por diversas gerações. Nossa primeira protagonista podemos dizer que é Júlia Forrester, uma jovem pianista que acaba de perder a família em um trágico acidente de carro. Quando criança, Júlia costumava ficar horas com o avô Bill na estufa da família Crawford. E após muitos anos, o atual dono da casa, Kit entrega para Júlia um antigo diário que deveria ser de Bill após a Segunda Guerra Mundial.

Eu disse 'primeira protagonista', pois caso você já conheça a literatura da autora, sabe que Lucinda ama ir e voltar ao passado. São vários personagens focos e tudo varia de acordo com a época e o acontecimento relatado. Em "A Casa das Orquídeas" não é diferente. Conhecemos a vida de Olívia e Harry, os antigos proprietários da Mansão Crawford e tudo é narrado pela avó de Júlia, Elsie. A antiga empregada da propriedade que se casou com o jardineiro, Bill. Acredito que falando assim, a história possa ser confusa, porém não é. Tudo é bem detalhado para não termos nada nos atrapalhando, aliás... Pelo contrário, é uma história que me fez devorar cada página, cada capítulo.


O mais incrível é que tudo é interligado, tudo tem um motivo e você percebe isso quando o grande segredo é revelado. Você começa achando que será uma simples história de amor, mas não! É uma trama familiar que impactará em gerações a frente da família Crawford. É SENSACIONAL! 

Não fiquei entediada em momento algum! Tudo é gradual, marcante. Os diferentes ambientes retratados também agregam muito a leitura. A antiga Inglaterra, a França, a Tailândia... O processo pré-guerra e o pós-guerra marcam muito a vida dos personagens que se tornam muito complexos. A escrita da autora é tão rica, é como se estivéssemos vendo tudo acontecer, os sentimentos são fortes e te deixam presa àquelas páginas, naquele suspense... Como isso foi acontecer? Fulano não merecia, mas ciclano não pediu para que isso acontecesse... UAU! É um turbilhão de acontecimentos que permanece até as páginas finais da obra.


Se eu pudesse indicar um livro para você sair da sua zona de conforto ou até mesmo sair daquela depressão literária, eu diria: pegue 'A Casa das Orquídeas'. Devore esse romance, é um livro intenso, cheio de dramas familiares que precisam ser desvendados. Segredos ficaram escondidos durante muitos anos. E Júlia merece descobrir toda a verdade. 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Série: Heartland - Season 5 a 9

Olá amores!

Nem tenho como dizer o quanto meu coração está triste com o final da maratona de Heartland. Assisti nove temporadas em sequência (no Canadá já tem 10 temporadas produzidas e a 11ª está sendo gravada, porém na Netflix só tem 9 disponíveis) e hoje vou trazer para vocês a resenha da temporada 5 a 9, lembrando que a crítica da 1 a 4 está AQUI!



Com isso, vamos relembrar um pouco da história? Amy é uma garota que perdeu a mãe na adolescência e ajuda o avô a cuidar do rancho da família, o chamado Heartland. Amy é uma encantadora de cavalos e se apaixona pelo bad boy (Ty) que está cumprindo sua condicional no rancho. Porém, como estamos na temporada 4 todos já evoluíram muito, Amy é uma doce e persistente profissional enquanto Ty está na luta para se tornar um veterinário. Ah, não se preocupem, não darei spoilers, só farei comentários que incentivarão vocês a darem uma chance a série.

Achei bem legal o fato de continuarmos com casos de cavalos aleatórios durante os episódios. Claro, há uma trama central em que Amy, Ty, Jack, Lou e Tim convivem, mas o trabalho em Heartland é um grande ponto e ver o quanto Amy ajuda os animais e progride com seu talento é encantador. Esse contato com a natureza sempre rende fortes emoções e posso te garantir que não há enrolação quanto a resolução dos problemas.



Na verdade, nem na relação familiar há enrolação. Os episódios são ágeis e costumo dizer que mostram exatamente aquilo que queremos ver. Por exemplo... Às vezes, a confusão já se resolveu, mas queremos o depois, como os personagens lidaram com aquilo, e puf. A série realmente nos mostra. Tudo extremamente delicado e envolvente!

Outro ponto que preciso destacar é que agora teremos a presença da órfã George. Eu jurava que não iria gostar da garota, porém ela trouxe um brilho e inocência únicos a história. Ainda mais quando Mallory precisa sair da série, pois o ensino médio acabou, a pequena George traz de volta aquele frescor e sinceridade que nós tanto amávamos em Mallory. Ah, e é muito bom acompanhar o seu crescimento. O relacionamento da menina com toda a família é lindo de se ver. Aliás, aposto que ela será uma nova Amy no futuro, afinal, seu amor por cavalos é evidente.



Acho importante dizer também que Heartland melhora com o passar das temporadas. Mesmo tendo uma quantidade alta de episódios disponíveis, as problemáticas são aprofundadas e se tornam mais maduras, o que faz com que o público se envolva e não fique entediado. Nessas temporadas mais adiantadas teremos até questões médicas sendo abordadas. Tudo ficou mais dramático e me arrisco a dizer, melhor sim

Porém, não posso ignorar o fato que ainda é MUITO divertido, há várias atrapalhadas e discussões que deixam tudo mais leve. E a trilha sonora que completa perfeitamente o enredo.

Além do mais, ver o envolvimento de Amy e Ty sair do básico para algo mais adulto, com questionamentos financeiros e sobre o futuro é tããããão mágico! Claro, ainda temos alguns problemas para enfrentar, mas o amadurecimento dos personagens torna o relacionamento mais resistente. E quando algo os atrapalha, é porque realmente precisa ser discutido.



Heartland foi uma das séries que eu mais amei maratonar. Já estou mega ansiosa pela season 10, mas também digo que a season finale 8 e 9 foram quase um final para a série. Não deixaram muitas pontas soltas, apenas uma promessa de ver a adaptação à vida adulta de nossos queridos protagonistas.

Corram para a Netflix, vale super a pena! Vocês vão se apaixonar pela família e pelos cavalos de Heartland!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessanda Salvia