quarta-feira, 24 de maio de 2017

Aniversário "Estante da Ale" - 3 Anos

Olá amores!

Hoje e amanhã, são dias de comemoração. O blog "Estante da Ale" faz 3 anos e eu gostaria de agradecer a todos que de alguma forma contribuíram para o crescimento desse espaço que antes era dedicado somente a literatura e hoje abrange o mundo cultural em geral, como filmes, séries e até mesmo músicas. 


Acho importante dizer a todos que não é número de seguidores que faz o sucesso e sim a qualidade de quem permanece comigo. Acho engraçado que a maioria dos seguidores que obtive no facebook foi por sorteios e NINGUÉM continua interagindo comigo (mundo interesseiro, né? rsrs). A média de curtidas em publicações não chega nem a 1% do total de seguidores. Mas sabe o porquê isso não me afeta? Porque aqui eu tenho amigos de verdade, aqui eu tenho pessoas que realmente me apoiam e me ajudam. 

Se você está lendo esse texto verdadeiramente saiba de uma coisa: é por você que o 'Estante' se mantem vivo. É por você que comenta nas postagens, troca informações, elogia e faz críticas. Não quero seguidores que digam 'Amém' para tudo o que eu posto. Eu gosto da troca, gosto de ver a mágica da literatura acontecer. Afinal, o que seria de Stephen King se todos amassem Meg Cabot? 

Esses dias o "My Dear Library" fez aniversário e a Ane comentou algo que eu gostaria de ressaltar aqui também. Muitos blogueiros estão migrando para o youtube, não acho isso ruim, deixando claro. Porém, não é o meu foco. Comecei o blog pela minha paixão para com a escrita e quero ser fiel a ela. Não começarei a fazer vídeos em busca de mais público alvo. Divulgo meu trabalho sim, porque acredito no que faço, só não vou me "vender", porque as pessoas estão assistindo mais vídeos do que lendo textos... E vamos combinar uma coisa? Se eu quero espalhar a literatura pelo mundo, nada mais justo do que fazer textos para todos verem que ler não é chato e sim maravilhosamente lindo.

Com isso, convidei algumas pessoas queridas para falarem um pouquinho sobre esse aniversário, porque repito. Não é só meu, é nosso!


Recado da Pâmela - Blog Interrupted Dreamer:

De tanto me falar
De tanto vir ver
Encontrei uma amiga,
Encontrei você
Com resenhas quentinhas pra oferecer
Com livrinhos novinhos pra conversar
Com séries incríveis pra indicar
E muita história pra contar
Posso ver que alguns anos já se passaram
E você continua aqui
Com mais autores e autoras para ler
E mais livros pra sonhar em conhecer
Com muita Bienal pra querer ir
E, entre mil sonhos, novas histórias colorir <3
(P.S.: O banner especial de aniversário foi um presente da Pam, então: obrigada duplamente)

Recado da Ane do My Dear Library:

"Nesses sete anos de blogosfera conheci muitas pessoas maravilhosas que minha felicidade hoje posso chama-las de amigas, e a Ale é uma delas. Mesmo que a gente esteja geograficamente um pouco distante, sei que ela é uma pessoa com quem posso contar e espero que ela sabia que mora no coração gelado (risos). Ale desejo para você e para o Estante da Ale, muitos e muitos anos de risos, livros e realizações. Beijos minha Sassenach."


Recado da Carolzinha do A Colecionadora de Histórias:

"Já são 3 anos de Estante da Ale e mês que vem 3 de A Colecionadora de Histórias, e fico feliz em constatar que estivemos uma apoiando a outra desde o comecinho! Ale e sua Estante me conquistaram! Com a simplicidade, doçura e sinceridade da blogueira (ainda vou conseguir te dar um abraço cheio de carinho Ale!), com as resenhas objetivas e sempre empolgantes, as recomendações excelentes e pontuais do blog... E não vamos esquecer dos contos fofura com aquela escrita que vai direto ao seu coração e que claramente revelam a alma da autora ♥ Continue sendo você mesma e amando o que faz: seu trabalho é lindo e sua história só está começando, Ale! Desejo todo o amor e sucesso do mundo, leituras apaixonantes, (livros publicados, haha), sonhos realizados e muito mais anos de blog!Parabéeeeens Estante da Ale!"


"A 'Estante da Ale' é aquele Blog que faz você se sentir em casa e sempre bem recebido, pois cada postagem é repleta de muito amor e carinho pelo Universo da Literatura, além de ser muito atualizado. Podemos sentir a verdade em cada texto que ali é escrito, seja ele autoral ou não. Já fiz muitas descobertas incríveis graças à 'Estante da Ale'. Por isso, o Blog e a Ale estão de Parabéns não só pelo conteúdo produzido, mas também por toda energia positiva que emanam e por sempre nos inspirarem a encontrarmos o melhor que existe nas protagonistas e em nós mesmos.
Feliz Aniversário, Estante da Ale
💛"

Recado da Amanda Sales, minha amiga que esteve comigo desde o início:
"Estante da Alê, para mim, significa enxergar o mundo com outros olhos. Exatamente como a própria Alê fez na minha vida. 
Me mostrou e mostra constantemente o mundo com outros olhos, novas perspectivas. É quem me fez acreditar que eu ainda posso encontrar a minha família Doriana! Quem me faz viajar por mundos desconhecidos e que, de vez em quando, ainda me puxa pra realidade.

Acompanho o Estante desde que ela “tomou coragem” para realizá-lo e, meu Deus, que sucesso! Quanto amor e comprometimento! De verdade, foi a melhor coisa que já fez!! 

E, é isso o que eu desejo e sempre desejei: que você seja feliz em tudo o que se propor à fazer. Que tenha muito, muito sucesso. Muitas parcerias! E não deixe nunca, nunquinha toda essa sua ansiedade e felicidade a cada passo novo, desaparecer!

Te admiro por tudo o que é, por tudo o que faz. Parabéns sempre! Parabéns pelos 3 anos de Estante da Alê!

E, obrigada, por me fazer conhecer um mundo que, até então, eu desconhecia!

Te amo! <3 "

Recado da minha linda e fã número 1, mãe Fátima Salvia:
"Como homenagear o 'Estante da Ale'???
Acompanhei tudo desde o começo, vi nascer a ideia. Vi o seu medo de escrever, expor as ideias, colocá-las no papel, mas hoje vejo como você ama ainda mais o que faz.
Vi em seus olhos o brilho por cada conquista, voltar a Bienal depois de tantos anos e como blogueira! Até mesmo fazer marcadores e canecas do blog. Antes só com livros e agora com séries e filmes.
Quantas dúvidas, medos e alegrias!
Acho que consegui passar um pouco do meu amor pela leitura para você, tenho muito orgulho.
Parabéns por esses três anos do blog 'Estante da Ale', que venham muitos novos livros, escritores, Bienais e parcerias. Muito sucesso, você merece. Te amo!"


QUANTO AMOR! Cada mensagem que recebi foi uma alegria diferente. Vi que não poderia ter construído amizades melhores que essas. OBRIGADA E VAMOS PARA O 4ºANO COM MUITO AMOR NO CORAÇÃO?

- Alessandra Salvia

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Série: Chesapeake Shores

Olá amores!

Terminei de ver "Chesapeake Shores" há algumas semanas, mas sabe aquele tipo de série que te deixa perdida quando termina? Lembrando que a primeira temporada já está no catálogo da Netflix e a segunda estará sendo produzida ainda este ano. É uma série baseada nos livros da Sherryl Woods, porém, infelizmente, essas obras ainda não chegaram ao Brasil.


A história é sobre a família O'Brien, são cinco filhos abandonados pela mãe ainda na infância. O foco dessa primeira temporada é a Abby, a irmã mais velha bem sucedida que mora em Nova York. Após a irmã mais nova (Jess) precisar de ajuda e a avó ficar doente, Abby e as filhas voltam a Chesapeake Shores e vários problemas mal resolvidos vem a tona, como por exemplo, o ex namorado da época de escola, Jesse. Claro que há outros grandes problemas, já que o ex-marido de Abby quer lutar pela guarda das duas meninas.


O que eu mais gostei é que cada personagem tem sua problemática própria, porém no decorrer dos episódios eles vão crescendo e se tornando uma verdadeira família, se ajudando, brigando, mas sempre juntos. Acredito que a partir da segunda temporada, os outros irmãos ganharão mais destaque, pois já começamos a ser apresentados a cada um e vou te adiantar: um é melhor que o outro. Eu adoooro a Bree, uma escritora com problemas de falta de inspiração. E também tem o Connor... Ele começou irritante, mas já tem um lugar especial no meu coração. Mas também tem a Jess e o Kevin. Até mesmo os pais, Megan e Mick irão retornar a cidade para tentarem resolver os assuntos do passado em pró da família.

Uma série especial pelo tom utilizado, é leve, divertida e emocionante... Sua simplicidade e verdade nos cativam. É uma história que poderia ser real, que nos mostra os verdadeiros valores da vida. Assuntos familiares são os temas principais, porém também vemos o valor do perdão e a força necessária para a superação dos dramas pessoais.


A iluminação da série é outro ponto positivo. É clara, ensolarada. Talvez estejamos muito acostumados com as histórias pesadas e escuras que a Netflix faz, então assistir algo mais alegre é ótimo. Além do fato da fotografia ser maravilhosa! Os locais onde filmaram são inspiradores por si só.

E vou te falar uma coisa... Jesse é AQUELE crush, viu? MEU DEUS! Ele tinha um sonho de se tornar músico e agora, ele precisa lidar com as consequências que essa vontade lhe trouxe. Sempre muito romântico, as cenas de Jesse e Abby vão roubar seu coração. Tenho certeza! Quando ele toca violão então... *------* <3 <3 <3 

O que me leva a dizer que a trilha sonora é muito boa também. Traz um estilo próprio a Chesapeake Shores. Fiquei morrendo de vontade de me mudar para lá e fazer parte dessa linda e divertida família. Só salientando uma coisa: não é comédia, é drama. Porém, eles usam o riso como forma de completar o enredo, os personagens são tão reais que conseguem usar isso a seu favor. 


Ah, antes de finalizar, deixa eu explicar algo importante caso você vá assistir. A Netflix dividiu o episódio piloto (01x01) em duas partes de 45 minutos cada, por isso são 10 episódios na plataforma. Porém, caso você veja em outro site, o primeiro episódio deve ter a duração de 1 hora e meia, pois se refere a dois episódios juntos, ou seja, totalizará 9 episódios da temporada 1, ok? Os outros terão o tempo normal de 45 minutos cada, mas como a temporada é curta ajuda muito.

Com isso, acho que vocês perceberam o quanto eu amei a série, certo? Não vejo a hora de termos mais episódios! Deixem-se levar pelo ar romântico e familiar de Chesapeake Shores, você não se arrependerá!

- Alessandra Salvia

domingo, 21 de maio de 2017

Cinema: Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Olá amores!

Hoje a dica é de um filme que acabou de entrar no catálogo da Netflix, "Sete Minutos Depois da Meia-Noite" que é baseado no livro de Patrick Ness publicado aqui no Brasil pela Editora Novo Conceito


O filme é sobre Conor, um garoto velho demais para ser criança, mas novo demais para ser um homem. Filho de pais separados, ele mora com a mãe que está muito doente (câncer) e o seu relacionamento com a avó não é dos melhores. Todos os dias, sete minutos após a meia-noite, a árvore que fica perto da casa da família desperta e vem até Conor para lhe contar 3 histórias, após todas terminarem será a vez do menino contar sua história para o homem-árvore.


De início, eu assistia e não entendia onde o filme iria chegar, sabe? Um tanto confuso, já que o próprio protagonista não sabe o motivo do despertar do monstro/árvore. O enredo é tão sensível e dramático que ao se misturar com a fantasia se torna inquietante para o telespectador que precisa saber qual caminho os personagens tomarão.

A mãe doente ficou nas mãos de Felicty Jones, o que foi uma escolha excelente. Eu adoro o trabalho da atriz e acho que a construção da personagem foi muito boa. Percebemos que ela quer proteger o filho em todos os momentos e que ela realmente acredita que um dia, ela pode melhorar. Mas foi o Lewis MacDougall que roubou a cena como o confuso Conor. Senti muita vontade de abraçá-lo!


O mais incrível é que a cada etapa da história, há uma mensagem diferente e todas te fazem refletir sobre como aquilo impacta na sua própria vida. Principalmente, os contos. A construção do enredo e como tudo se encaixa na vida de Conor é o que mais me agradou.

A fotografia do filme é liiiiiiinda! Os efeitos especiais impecáveis. Tudo foi muito bem colocado e eu realmente não esperava gostar tanto. Eu senti o que a história quis me passar. De coração, foi como se algo despertasse em mim. A questão da verdade de cada um, essa verdade se fazer necessária e nem sempre ela precisa ser a certa ou a errada, apenas é a sua verdade. Loucura, eu sei, mas faz sentido!!!


Cheeeeeio de cenas sensíveis e que me arrancaram lágrimas, "Sete Minutos Depois da Meia-Noite" é aquele filme que te impacta, que te faz pensar mesmo após os créditos finais. Super recomendo, o classificaria na categoria: veja pelo menos uma vez na vida.

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Quotes e Playlist: Em Seu Coração

Olá amores!


Eu seeeempre trago resenhas e quotes marcantes dos livros da nossa parceira, Bianca Briones, certo? E hoje não será diferente, porque eu realmente acredito que vocês merecem conhecer essas maravilhas. "Em Seu Coração" é a continuação de "Em Suas Mãos" e ele me trouxe alguns sentimentos que era necessário compartilhar, afinal, passei dias lembrando e refletindo sobre as temáticas da obra.



Lembrando que você pode adquirir tanto o primeiro quanto o segundo livro pelo site da Amazon. Os preços são super acessíveis e até o momento não temos uma previsão para o lançamento do livro físico, mas claro que a Bianca já está mexendo os pauzinhos para trazer o que os fãs pendem.

Com isso, vamos ler algumas frases especiais???


"Não há muro capaz de proteger o coração quando ele decide que é a hora de se entregar outra vez"

"Eu sou a pessoa de quem os outros dependem e não posso me permitir cair. É raro até mesmo que eu desabafe sobre meus problemas"

"- Preparado? (...)
- Como nunca estive antes."

"Não há nada de errado em sentir dor Luiza, (...) Não há nada de errado em demonstrar o que se sente"

"A sua fé em mim não fará nenhum milagre"

"- É fácil falar. (...)
- Não. É fácil sentir. Na verdade, acho que uma vez aberta a porta, é impossível não sentir"

"Você se surpreenderia com a quantidade de pessoas que não fazem sentido algum"

"- Acho que se a nossa história fosse um livro, seria agora que eu terminaria com você para te proteger.
- Se você pensa que precisa me proteger, aí sim nós vamos terminar" <3 <3 <3 



"Não sei o que você vai fazer em relação a tudo isso, mas eu vou te ajudar. É pesado e será mais pesado ainda, se você fizer tudo sozinho.. Vai ser mais fácil se mim  por um acaso?"

"Às vezes para salvarmos alguém precisamos partir seu coração primeiro"

"Essa amizade funciona bem porque ele nunca me pressiona e eu nunca o julgo. 
Mesmo sendo fechada para o amor a minha vida inteira, sei bem que ele não escolher pessoa, momento ou lugar. 
O amor é o que é e pronto"

"Tudo o que eu tenho é esperança. É o que eu posso ter"

"Viver, por si só, já é um ato de fé"

"Assim é a vida.. Ela não para. Nunca. Ela tira. Ela dá. Ela segue."


E eu já estou suspirando com lágrimas nos olhos. Vocês não tem ideia do quanto cada palavra mexe comigo, então, já vou logo emendar a playlist especial...



Vou deixar o link para a Amazon aqui novamente, para quem quiser. E prometo que logo logo vamos trazer mais novidades, hein? 

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Série: Santa Clarita Diet

Olá amores!

Demorou um pouco, mas finalmente saiu a crítica da primeira temporada de "Santa Clarita Diet" e é sem spoilers, viu? Fiquem tranquilos!


Sheila é uma mãe de família aparentemente normal, uma corretora de imóveis credenciada que trabalha junto com o marido Joel. Eles moram em Santa Clarita e tem uma filha adolescente. Até então, os problemas são aqueles normais como por exemplo a infelicidade de viver em uma cidadezinha em que os vizinhos são fofoqueiros ou então a dificuldade de vender casas. Porém, quando Sheila passa mal tudo muda na vida de toda a família. 


Tornando-se uma zumbi, Sheila precisa se adaptar a nova rotina carnívora e Joel a nova esposa que se torna muito mais impulsiva e intensa. Essa mudança da família é muito engraçada, afinal, o que é nítido é o amor que os une, mas o fato de terem que matar seres humanos para a sobrevivência da matriarca abala qualquer um. 

Confesso que acho a série lenta, mesmo com 10 episódios e cerca de 30 minutos em cada um, a história demora para desenrolar e a cativar. Talvez seja o fato da comédia não ser o meu gênero favorito, mas eu esperava mais. A construção do enredo é bem básica, não temos um roteio complexo ou maiores discussões. 

Não achei muito exagerado, mas o humor é claro e direto... Piadas feitas exatamente para serem piadas, não que completam o enredo. As atuações são normais, Drew Barrymore é excelente e Timothy Olyphant é mais caricato. 


Sendo original Netflix, todos os episódios já se encontram disponíveis. Não espere algo que te traga grandes emoções ou ação. É uma comédia beeeem nojenta oque cumpre o que promete em seu trailer, não te surpreende em momento algum. Se você tem problemas com sangue e pedaços de corpos humanos, não assista porque tudo é bem escancarado. Ou pelo menos, não assista durante as refeições, rs. 

Ah, e também não vá com grandes esperanças para a season finale, foi uma das mais fracas que eu assisti. Sem contar a quantidade de pontas soltas... Isso sim impressiona, acho que nada é resolvido, rs. Mas claro que a netflix já renovou, então é só esperar e ver como as coisas se resolvem.

Agora me conta... Você já assistiu? Gostou? Vai assistir? Deixe seu comentário!

Minha Classificação: ♥ ♥ (2/5 - Regular)

- Alessandra Salvia

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Resenha: Desejo Concedido

Olá amores!

Para quem ainda não sabe, a Megan Maxwell também escreve romances de época e a Editora Essência trouxe para os brasileiros um dos títulos mais famosos da autora: "Desejo Concedido", o volume número 1 da série Guerreiros. Posso até dar uma curiosidade para vocês: as fãs da Megan são conhecidas como Guerreiras, exatamente por conta dessa série.


Esse livro nos conta a história da inglesa Megan Philiphs que aos 20 anos foge de um casamento arranjado para o castelo do avô na Escócia. Lá, sua vida é ameaçada diversas vezes e para ser protegida após a morte do avô, Megan se casa com o guerreiro Duncan McRae. Claro que nada será simples, porque ninguém aceita a moça na sociedade escocesa, ela é vista como sassenach. (Fato histórico importante: escoceses e ingleses não são amigos, há diversas guerras e brigas por territórios que duraram anos e anos).

Eu preciso fazer uma observação logo de início. Que tipo de autora coloca o seu nome em uma protagonista? Mas ok... O problema maior é que Megan não me convence em momento algum. De início, ela tenta. Ela quer se mostrar forte, quer ser independente, quer cuidar e proteger seus irmãos, mas quando ela casa, toda a situação muda. Talvez, se ela se mostrasse mais submissa desde o início, eu aceitaria mais fácil, porém ela querer ser forte e não ser foi decepcionante.


Megan não queria casar e quando isso acontece já se entrega facilmente. Qualquer discussão ou situação em que ela precise se manter firme, basta um beijo e uma carícia para ela se derreter toda ao marido. Aquilo me irritou demaaaaaais, porque ela passa o livro todinho abrindo mão das coisas por conta de Duncan, um guerreiro machista e grosso.

Pois é... Outra decepção. Não adianta falar que ele precisa manter as aparências perante seu clã. Nada justifica atitudes egoístas e que colocam Megan em provação o tempo todo. Há uma cena específica em que ele é doce e quando Megan pergunta sobre como ele vê o amor, as coisas voltam ao normal, sua resposta é: mulheres gostam disso. Deeeeeus, não minta! Seja um guerreiro verdadeiro e não a iluda.

Um ponto importante da história: eles só vão casar de verdade após um ano e um dia. Afinal, Megan quer nutrir sentimentos pelo marido e ser correspondida antes de levar tudo adiante. Minha opinião? Isso é uma besteira, já que eles estavam vivendo como homem e mulher desde sempre!


O engraçado é que minha mãe leu esse livro antes de mim e sua visão foi oposta. Claro, ela também acha que Megan se deixa levar fácil demais (isso é unanimidade), porém ela conseguiu sentir o amor e afeto nos personagens. Ela viu o crescimento do livro e o devorou! Ou seja, acho que aqui vocês possuem duas opiniões completamente diferentes. Eu não considero um livro arrebatador, não consegui me apegar a ninguém (até porque acho que a autora trouxe desnecessariamente tanta gente para a história que a tornou meio que "vazia" em determinado momento).

Sendo assim, vou deixar a escolha de ler ou não nas mãos de vocês. Eu, particularmente, não indicaria, mas quero muito saber a opinião de vocês perante a dica de hoje. O que acharam? Deixem nos comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ (2/5) - Regular.

- Alessandra Salvia

domingo, 14 de maio de 2017

Especial: Mães na Literatura

Olá amores!

Como hoje é dia das mães, trouxe para vocês uma lista com as 5 mães literárias que mais me marcaram nesses anos de leitora. E aproveito a oportunidade de desejar um maravilhoso dia a todas as mamães que acompanham o blog, parabéns por toda força e paciência, o coração de vocês é grandioso!



1 - Violet Bridgerton (criada por Julia Quinn):

Quando eu penso em grandes mães na literatura, logo aparece Violet Bridgerton em minha mente. Talvez por estar presente em toda saga Bridgerton, mas foi seu relacionamento com cada filho que me marcou muito. Não estou falando em obrigá-los a casar e sim por mostrar-lhes que o amor existe. Pense em sua história pessoal: após perder o grande amor de sua vida, ela precisou criar os sete filhos sozinha e detalhe... Em um época onde as mulheres eram muito menosprezadas. Violet não desistiu, ela sempre soube que a felicidade dos filhos seria uma recompensa pelos anos de dor e sofrimento. E para mim, algo bem marcante é o fato dela não ser amargurada e sim extremamente bem resolvida; 


2 - Sra. Pullman (Extraordinário):

Talvez uma das mães mais próximas da atual realidade. A Sra. Pullman é uma mãe que precisa lidar com a sociedade apontando para o seu filho e dizendo que ele é estranho. Preconceito, bullying, falta de respeito e bom senso. Justo com Auggie, uma criança tão incrível. Em breve, Julia Roberts nos contará nas telonas essa história de superação, aceitação e amor que 'Extraordinário' nos traz, porém até lá, eu fico apenas aplaudindo de pé a força que as mães de crianças especiais tem. Deus lhes dá uma força sobre-humana para conseguir lidar com a maldade e com o egoísmo do mundo;


3 - Cersei Lannister (Crônicas de Gelo e Fogo):

Muitos vão dizer que Catelyn Stark deveria estar nessa lista (e eu concordo), porém vou citar a Cersei, porque é na maternidade que vemos suas fraquezas e também suas maiores qualidades. São nos momentos como mãe que vemos Cersei sendo ela mesma, protetora e forte, mas também frágil e sensível. Ela sempre está disposta a dar o melhor de si para seus filhos terem o sucesso na vida. Você pode falar o que quiser da personagem, mas o amor pelos filhos é algo inegável;


4 - Molly Weasley (Harry Potter):

O grande coração de Molly é único. Acredito que seja a mãe mais 'tradicional', é aquela carinhosa, que dá grandes abraços, cozinha, se preocupa com a segurança dos filhos, faz tricô e quer que todos sejam crianças para sempre, mas sabe virar uma 'bruxa de verdade' para defender aqueles que ameaçam seus 'bebês'. <3 De todas, acho que a minha mãe se encaixa mais nesse padrão, sabe? Molly é um exemplo de amor, característica base que a define. 


5 - Sra. Bennet (Jane Austen):

Eu não posso ignorar o fato de que a Sra. Bennet precisa estar nessa lista. Incrivelmente arrogante, com um toque cômico, talvez? Ela quer o melhor para as filhas e retrata muito bem um realidade passada. Dentre todas as mães citadas, posso garantir que é a mais famosa, rs.


BÔNUS!

FÁTIMA SALVIA!


Meu amor, minha vida, minha base, meu porto seguro. Feliz Dia das Mães àquela que sempre está comigo e que sempre estará, somos uma só. Eu te amo mãe, obrigada por ser a melhor mãe que eu poderia ter. TE AMO! <3

- Alessandra Salvia